quarta-feira, setembro 03, 2008

Magical Pieces (63)

Olá a todos!
Hoje o meu Magical vai falar de assuntos muito sérios... tão sérios que fico arrepiada com toda a "ligeireza" com que toda a gente fala e opina sobre eles...
Muito se tem dito e especulado sobre o último acidente de aviação que ocorreu no passado mês no aeroporto de Barajas... Choca-me a frieza com que passam imagens e declarações não editadas. Os familiares das vítimas também vêm televisão... frases como "parecia o inferno" ou "tivemos que deixar arrefecer os cadáveres" não são frases que se ponham "no ar".
Emoções à parte, vem a constatação que, de repente toda a gente percebe imenso de aviação, de manutenção de aeronaves, de procedimentos, etc. Os jornalistas falam do que não sabem, e durante dias injetam-nos com "verdades" absurdas que só quem está ou esteve no meio se apercebe de tal.
Para quem não sabe, trabalhei 18 anos numa companhia aérea, coincidentemente, também espanhola e sei do que falo:
- O modelo de avião MD-90... não existe.
- Se alguém tivesse pedido para sair do avião, não haveria nenhum comandante que o pudesse recusar.
- Se o avião recebeu o "ok" da manutenção para voar com uma falha no sistema de ar condicionado, foi porque o manual do fabricante assim o permite...
Estas são algumas das "barbaridades" das quais me lembro, entre as muitas que fui ouvindo por aqueles dias. Para mim, e para as pessoas que lidam diáriamente com a aviação, não é nada estranho que um avião vá para o ar com uma lista de avarias. É perfeitamente normal, desde que, e volto a dizer, o manual do fabricante assim o permita.
A aviação é técnica, rigorosa, cuidada e quem lá trabalha é um profissional e acreditem, ninguém quer ter um acidente destes por perto. É pena que haja sempre a urgente necessidade de se arranjar um bode espiatório. Os motivos podem ser vários. Pode não haver apenas um culpado... resta-nos esperar...

Até ao próximo Magical!

4 Comentários:

Blogger Framboesa disse...

Olá Bolota
olha, concordo ctg na maior parte das coisas que dizes, até pq as pessoas por vezes pecam por mandar bitaites para o ar, sem olhar a nada a não ser disparatar...mas há cerca de 8 anos, coincidente,mente numa viagem que fiz com o meu marido(então namorado) e pais á Gran canária, tivemos no regresso que fazer o percurso GranCanária-madrid-Lisboa...em madrid , já estavamos no avião há algum tempo e começámos a ouvir um burburinho...o m pai e mais umas pessoas ouviram uma das hospedeiras falar em qq coisa nos moores...e então muitos passageitos começaram a dizer q se o avião n estava em condições n levantavam vôo, q se resolvessem as coisas...in clusive muitos disseram q queriam sair , inclusive o m pai, pq estavamos a ver mesmo muita confusão nos bastidores, e as hospedeiras tentaram demover-nos a sair...Depois de muita confusão saíram os passageiros todos...e não é que depois d emuitas horas a aguardar, tivemos q ir noutro avião pq aquele estava mesmo com não sei o quê avariado...
respeito muito quem trabalha neste ramo e parto do principio q são pessoas capazes e responsaveis...mas ás xx não são...

mas tal cm dizes, deve-se averiguar antes de se falar :-)

um beijo mágico para ti, com os pés bem assentes na terra...

setembro 03, 2008 9:33 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Concordo contigo. Não tenho conhecimento de causa, mas tenho um grande amigo q entrou este ano para uma companhia ( n sei o nome) e vi o que ele teve q estudar e os pormenores todos que tinha q saber (e bem ) para poder exercer a profissão. Sei q não é de animo leve que as coisas são feitas e sei que o que parece simples tem por trás inumeras regras a cumprir.
Lamento realmente a forma como estas e tantas outras coisas são abordadas ....
Um beijinho. zezinha

setembro 03, 2008 1:15 da tarde  
Blogger Algodão Doce disse...

Olá!
Sabes que nestas situações se diz sempre muita coisa...

Mau, mau é que morreu tanta gente!
E o que quer que se venha a descobrir isso nunca mudará!

Beijinhos grandes
Algodão Doce

setembro 03, 2008 1:28 da tarde  
Blogger AB disse...

Concordo contigo minha querida. Por vezes os jornalistas não se limitam a relatar o facto, ainda passam imagens chocantes, e usam palavras frias e inpensadas, impróprias para uma ocasiões tão chocantes.

setembro 03, 2008 4:16 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial